Notícia

Dieta à base de plantas pode estar associada à melhoria da saúde sexual em homens tratados de câncer de próstata

A ingestão de grandes quantidades de qualquer alimento vegetal estava associada a uma melhor saúde sexual, saúde urinária e índices de vitalidade

Freepik

Fonte

NYU Langone Health

Data

quarta-feira, 14 fevereiro 2024 00:00

Áreas

Nutrição Clínica. Nutrição Coletividades. Saúde Pública

Uma dieta que limita a carne e os laticínios, mas é rica em frutas, vegetais, grãos e nozes, está associada a menos disfunção erétil, incontinência urinária e outros efeitos colaterais comuns observados em pacientes que tiveram câncer de próstata, mostra um novo estudo.

Liderado por pesquisadores da NYU Grossman School of Medicine e da Harvard T.H. Chan School of Public Health, a análise de mais de 3.500 homens com câncer de próstata explorou se uma dieta mais baseada em vegetais estava associada a problemas de qualidade de vida que muitas vezes surgem após o tratamento. Classificando os pacientes em cinco grupos (quintis) com base na proporção de alimentos vegetais versus animais que os homens disseram consumir, os autores descobriram que o quintil que consumiu mais plantas teve uma pontuação 8 a 11% melhor em medidas de função sexual em comparação com o grupo que consumiu menos.

Da mesma forma, os resultados revelaram pontuações até 14% melhores para a saúde urinária, com menos casos de incontinência, obstrução e irritação. Os autores encontraram ainda pontuações até 13% melhores na saúde hormonal (que avalia sintomas como baixa energia, depressão e ondas de calor) entre o quintil mais alto de dieta baseada em vegetais em comparação com o mais baixo.

“Nossas descobertas oferecem esperança para aqueles que procuram maneiras de melhorar sua qualidade de vida após serem submetidos a cirurgia, radiação e outras terapias comuns para câncer de próstata, que podem causar efeitos colaterais significativos”, disse a autora principal do estudo e urologista Dra. Stacy Loeb. “Adicionar mais frutas e vegetais à sua dieta, ao mesmo tempo que reduz a carne e os lacticínios, é um passo simples que os pacientes podem tomar”, acrescentou o Dra. Loeb, professora dos Departamentos de Urologia e Saúde da População da NYU Langone Health.

O câncer de próstata está entre as formas mais comuns e mortais de câncer entre os homens americanos, de acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA. Pesquisas anteriores da mesma equipe já haviam descoberto que seguir uma dieta baseada em vegetais pode reduzir o risco de desenvolver a doença. Outras pesquisas associaram esta dieta a um menor risco de disfunção sexual em geral, mas não especificamente para aqueles com câncer da próstata, que apresentam um risco particularmente elevado para tais problemas.

O novo estudo, publicado na revista científica Cancer, também é considerado o primeiro desse tipo a mostrar melhor saúde urinária nesses pacientes com base na nutrição, disse a Dra. Loeb.

Para a pesquisa, a equipe analisou dados do Health Professionals Follow-Up Study, uma pesquisa em andamento iniciada em 1986 e patrocinada pela Harvard Chan School. O conjunto de dados é composto por informações sobre mais de 50.000 dentistas, farmacêuticos, optometristas, osteopatas, podólogos e veterinários do sexo masculino. O projeto foi concebido para compreender melhor como a nutrição influencia os riscos relacionados ao câncer, doenças cardíacas e outras doenças graves.

Como parte do projeto, homens com câncer de próstata responderam a um questionário a cada quatro anos sobre os tipos de alimentos que ingeriam e em que proporções. Outra pesquisa, realizada a cada dois anos, avaliou a frequência de incontinência, dificuldades em manter uma ereção e problemas intestinais, de energia e de humor, entre muitos outros problemas de saúde. A maioria dos pacientes (mais de 83 %) recebeu tratamento para câncer de próstata, observou a Dra. Loeb, e todos os incluídos no estudo atual apresentavam formas precoces da doença que ainda não haviam se espalhado para outros órgãos. Ela acrescenta que, ao procurar possíveis conexões entre uma dieta baseada em vegetais e a saúde, a equipe de pesquisa levou em consideração o peso, a atividade física e muitos outros fatores que poderiam afetar a qualidade de vida.

Entre as descobertas, dizem os pesquisadores, a ingestão de grandes quantidades de qualquer alimento vegetal estava associada a uma melhor saúde sexual, saúde urinária e índices de vitalidade, independentemente de fatores demográficos, diferenças de estilo de vida ou histórico de outros problemas médicos, como diabetes. Comer alimentos mais saudáveis à base de plantas também foi associado a um melhor funcionamento intestinal, o que, disse a Dra. Loeb, pode ser explicado pela fibra alimentar encontrada nas plantas.

“Esses resultados se somam à longa lista de benefícios ambientais e de saúde de consumir mais plantas e menos produtos de origem animal”, disse a Dra. Loeb “Eles também desafiam claramente o equívoco histórico de que comer carne aumenta a função sexual nos homens, quando na verdade parece ser o oposto.”

A Dra. Loeb adverte que os homens avaliados no estudo eram, em sua maioria, profissionais de saúde brancos. Como resultado, ela diz que a próxima equipe planeja expandir sua pesquisa para um grupo mais diversificado de pacientes e para aqueles com estágios mais avançados da doença.

Acesse o resumo do artigo científico (em inglês).

Acesse a notícia completa na página do NYU Langone Health (em inglês).

Fonte: Shira Polan, NYU Langone Health.  Imagem:

 

Em suas publicações, o Canal Nutrição da Rede T4H tem o único objetivo de divulgação científica, tecnológica ou de informações comerciais para disseminar conhecimento. Nenhuma publicação do Canal Nutrição tem o objetivo de aconselhamento, diagnóstico, tratamento médico ou de substituição de qualquer profissional da área da saúde. Consulte sempre um profissional de saúde qualificado para a devida orientação, medicação ou tratamento, que seja compatível com suas necessidades específicas.

Os comentários constituem um espaço importante para a livre manifestação dos usuários, desde que  cadastrados no Canal Nutrição e que respeitem os Termos e Condições de Uso. Portanto, cada comentário é de responsabilidade exclusiva do usuário que o assina, não representando a opinião do Canal Nutrição, que pode retirar, sem prévio aviso, comentários postados que não estejam de acordo com estas regras.

Leia também

2024 nutrição t4h | Notícias, Conteúdos e Rede Profissional nas áreas de Alimentos, Alimentação, Saúde e Tecnologias

Entre em Contato

Enviando
ou

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

ou

Create Account