Safra

Graviola

Descrição

A graviola (Annona muricala L.) é da família Annonaceae que tem 135 gêneros e 2500 espécies.

Nomes populares: araticum, araticum-de-comer, araticum-manso, araticum-dogrande, araticum-manso, jaca-do-pará. Fonte: Alimentos Regionais Brasileiros

A graviola, fruta de sabor adocicado, levemente cítrico é originária das Antilhas, na América Central. Foi introduzida no Brasil nos séculos 16 e 17 por espanhóis. É cultivada em diversas regiões como: Venezuela, Colômbia, Porto Rico, Costa Rica, México, Panamá, Jamaica, Cuba, Espanha, Índia, Honduras, Guiana, Suriname, Brasil, Peru, Senegal e Singapura.

Valor Nutricional

Valores de nutrientes da graviola in natura em cada 100g comestíveis:

Energia: 65kcal
Carboidratos: 82,2g
Proteínas: 0,85g
Lipídeos:0,21g
Fibra: 1,91g
Colesterol: 0 mg
Cálcio:40,2mg
Ferro: 0,17mg
Sódio:4,16mg
Magnésio: 23,5mg
Fósforo:19,2mg
Potássio:250mg
Vitamina B6: 0,04mg
Vitamina C: 19,2mg

Fonte: TBCA | Tabela Brasileira de Composição dos Alimentos – USP

 

 

Propriedades Funcionais

Atividade antioxidante em razão do elevado conteúdo de fenóis. Doenças crônicas degenerativas, como câncer, diabetes, obesidade, doença arterial coronária, representam uma das maiores causas de morte de pessoas no mundo. Alguns estudos relatam que diversas partes da graviola como as folhas, polpa, sementes e pericarpo podem ser utilizadas como alternativas na prevenção e combate a doenças.

Substâncias bioativas identificadas na gravioleira vêm chamando a atenção dos cientistas há pelo menos quarenta anos. São as acetogeninas anonáceas, uma classe de compostos derivados de ácidos graxos, cujo espectro de atividade biológica inclui propriedades inseticidas, anti-helmínticas e anticancerígenas. A Embrapa e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) acabam de concluir um estudo que pode contribuir para que, no futuro, essas substâncias cheguem às prateleiras de supermercados e farmácias. A pesquisa avaliou um método promissor para extrair e concentrar esses compostos. Um estudo que abre caminhos para que se possa transformar folhas em produtos, como suplementos alimentares ou fitoterápicos, sem que se percam os princípios ativos de interesse.

 

Praticamente todas as partes da gravioleira são utilizadas para o tratamento de vários tipos de doenças em diversas partes do mundo. Segundo a medicina popular, todas as partes da gravioleira são utilizadas na medicina natural. O fruto ou o suco é utilizado para o tratamento de vermes e parasitas. As sementes esmagadas são utilizadas como vermífugos anti-helmínticos. As cascas e as raízes são consideradas como sedativos, antiespasmódicos, hipotensivos, antitumorais e para os nervos. As raízes, as cascas e as folhas são utilizadas  para diabetes, como sedativo e antiespasmódico. O chá das folhas é para problemas do fígado e no combate ao catarro e o óleo do fruto misturado ao azeite de oliva é utilizado para combater nevralgias, reumatismos e artrites. Fonte: UFC

Uso Culinário

Grande parte de sua produção é consumida in natura, na forma de suco, refresco, sorvetes, saladas ou com açúcar. Fonte: Alimentos Regionais Brasileiros

Uso Agroindustrial

A graviola é um fruto de grande aceitação na agroindústria devido ao seu excelente sabor e ao aroma agradável de sua polpa, podendo ser processado na forma de suco concentrado, xarope, bebida (champola) e néctar. Fonte: Alimentos Regionais Brasileiros

 

Os comentários constituem um espaço importante para a livre manifestação dos usuários, desde que  cadastrados no Canal Nutrição e que respeitem os Termos e Condições de Uso. Portanto, cada comentário é de responsabilidade exclusiva do usuário que o assina, não representando a opinião do Canal Nutrição, que pode retirar, sem prévio aviso, comentários postados que não estejam de acordo com estas regras.

2021 Canal Nutrição | Canal de Notícias, Conteúdos e Rede Profissional em Alimentos, Alimentação, Saúde e Tecnologias da Rede T4H.

Entre em Contato

Enviando
ou

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

ou

Create Account